Inep diz que Enem pode ser adiado

by Redação Guarananet

O Inep defende a ampliação do diálogo com as Universidades Federais e com os governos dos estados para tentar suprir a desigualdade no ensino entre escolas públicas e particulares, que ficou evidente durante o período de isolamento social.

Em uma live organizada na manhã desta sexta-feira (15), pela Evolucional, empresa especializada em simulados e avaliações para escolas privadas, o Presidente do Inep, Alexandre Lopes, apontou para a possibilidade de adiamento do Enem, mas questionou: “o que podem fazer as universidades públicas para tentar ajudar o jovem da escola pública?”. Para ele, seria necessário “revisar o quantitativo de vagas nas suas políticas de cotas. O Enem é a mesma prova para todos, mas existem outros mecanismos que podem tentar ajudar a reconhecer e superar essa desigualdade.”

Lopes também questionou sobre “o que os estados poderiam fazer nas suas redes estaduais de ensino, num eventual adiamento [do Enem], o que eles irão oferecer a mais, além da reposição de aula, que pode eventualmente ajudar esses alunos”.

A presidente da Associação Brasileira de Avaliação Educacional (Abave) e ex-Secretária da Educação de São Paulo, Maria Helena Guimarães, que também participou da live, lembrou que “alguns [estudantes] estão passando por situações familiares muito difíceis, uns por questão de saúde, outros por renda ou porque não conseguem ter acesso a materiais de estudo. Isso cria uma angústia que dificulta muito a vida desses alunos”, ao defender o adiamento do Enem.

Mediando o debate, o Diretor de Inovação Pedagógica da Evolucional, Vinícius Freaza, ressaltou que “as escolas privadas estão acontecendo, de uma forma ou de outra a coisa está andando, mas as públicas nem sempre”. A Evolucional está levando para mais de 2500 escolas clientes da empresa no Brasil um Simulado Online do Enem, para que esses alunos sigam se preparando para o exame. Após a live, o especialista concordou com os pontos levantados por ambos e que medidas de preparação para suprir a desigualdade de acesso aos conteúdos devem ser traçados para alunos de escolas públicas.

A respeito da digitalização do Enem, Lopes defende que “ao fazer uma prova digital, a gente consegue fazer várias provas ao longo do ano. Hoje o jovem só tem uma data pra fazer a prova, ele sabe que é em novembro. Não conseguiu? Tem que esperar novembro do ano que vem. O aluno vai chegar no futuro, entrar no computador e escolher quando ele quer fazer a prova e em qual cidade ele vai fazer a prova”.

O Presidente do Inep ainda completa dizendo que, nesses moldes, “no futuro o Enem vai levar à informatização das escolas”.
Para Freaza, essa é uma transição inevitável, que “precisa garantir incluir todo o sistema educacional no Brasil e deve ser estruturada, mas a longo prazo”. A presidente da Abave, Maria Helena, lamenta que “a escola particular tenha condições de funcionamento muito melhores, e o investimento feito em escolas públicas ainda seja muito menor”.

Sobre a definição de data do Enem 2020, Lopes disse: “eu preciso ter a data para publicar o edital e garantir que a prova vai ser feita. O Enem envolve uma operação muito grande. Por isso, preciso de uma data da prova que oriente todo o processo de sua elaboração”. Ele finaliza afirmando que “quando estiver tudo pronto, a gente volta a discutir a data”.

0 comment
0

Related Posts

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia Mais

Politica de privacidade de Cookies